domingo, 31 de maio de 2009

UM POR DO SOL NO BARREIRO



Motivo desta foto , a empatia entre a minha estrela a a nossa estrela !

(foto Zeii)

sábado, 30 de maio de 2009

A SORTE GRANDE -Assim o pensaste assim aconteceu.........4º


Se há acontecimentos na nossa vida que nos surpreendem este e um deles ,tinha iniciado a minha carreira nos números ,aliciante,exigente e absorvente .
Mês calmo ,a preparação para a nova safra e a criação de uma nova sociedade que implicava a sede social e a contabilidade , centralizada .
Um desafio para um profissional dedicado mas inexperiente , algumas dificuldades e pouco tempo, porquê?tudo era para ontem.
Era Agosto , no Alentejo o calor e asfixiante ,sem ar condicionado apenas umas ventoinhas que chiavam na sua rotação. Quem lhe apetecia trabalhar !? eu não,pelo menos á hora da sesta.Que moleza , estava alentejando ....
Tenho que sair , refrescar me numa praia ,ir á aventura , passear, assim o pensaste assim aconteceu,
Já há algum tempo que estava em maturação uma ideia de ir sem rumo até ao Algarve .com alguns amigos.
Assim foi ,percorremos todo o sotavento , lá passamos uns bons dias despreocupados.
Mas a luz brilhava em mim de regresso esperava-me uma surpresa .não só no campo profissional,como também no jogo da vida.
Como era de costume tinha um primo de meu pai que vendia lotaria e todas as semanas me levava uma cautela certa , que eu guardava na gaveta e para ali ficava.
Mas no regresso do passeio ,alguém me perguntou !?Percebes alguma coisa de lotaria . claro, ouvi o rádio e o numero que disseram era este ..... então tens dinheiro o homem tremia de emoção.
Só que este meu cérebro não pára .um calafrio percorreu-me todo o corpo, alto! acho que tenho na gaveta o número igual. Lá fui ver ,ele lá estava.
Não queria acreditar, mas era evidente , telefonei par o Quiosque Maniés um amigo e professor de caligrafia , que fornecia jogo aos cauteleiros.
Começou por dizer me o 3º prémio e só depois o 1º,o que me criou um suspense terrível.
O 1º é o 38567 então já cá "canta" o primeiro prémio !
ò Manel saiu-me a sorte grande ... ficou incrédulo mas contentíssimo .
Se aproveitei, sim um sonhos realizados .a trave mestra da vida a família e o pó pó vermelho.
Uma dúvida presente, teria sido por mim..........

sexta-feira, 29 de maio de 2009

PAINEL DE AZULEJOS - Pedacinhos de História


Cerco ao castelo de S,Jorge . painel de azulejo situado no ISCAL em Lisboa . foi a foto possível,

QUE SABORES.............


Outros tempos outros sabores ........
As papilas gustativas agradeceram esses sabores perdidos , transformados de produtos artesanais em industrialização massiva.
Comer uma fatia pão acabado de sair , estaladiço feitos com farinha de trigo, os papossecos para o pequeno almoço,quentinhos acabado de sair de um forno a lenha.
O alugar de um forno que poderia ser o da Ti Teresa ou da Chica do Forno, feitos no dia eram transportados de casa em tabuleiros de madeira para o forno , as celebres bolemas ,bolachas de pão,costas folares, esquecidos tortas etc.
Os assados de borrego pela Páscoa com batata e cenoura . que mais e posso lembrar!?
Sousel era e talvez seja uma terra horticula . vamos á Horta ..... Pepinos grandes , tomates com sabor e regado artisticamente num labirinto de canais, de onde a água era fornecida pela nora, num vai-vem de alcatruzes , movidos por um burro com olhos vendados .porque andava sempre a roda.
As frutas :os figos e pêras do Bartolomeu,a "Horta á porta " um pregão, os pêssegos que não cabiam na mão, a fartura estava presente e com qualidade.
Todos estes produtos colhidos e cozinhados na hora o sabor não se perdia.
As galinhas de capoeira , enfiar o dedo no cu a ver se tinha ovo para o outro dia . os porquitos criados no chiqueiro ,os borreguitos no quintal.
Só os previligiados e que comem hoje em dia estes PITÉUS ........ tenho fome .

HOSPITAL E IGREJA DA MISERICÓRDIA SOUSEL


Sousel um pouco de História

Santa Casa da Misericórdia de Sousel
Data a sua fundação de 1515.pelo Duque de Bragança .e denominava se Real Casa Hospital da Misericórdia da Vila de Sousel.
D.Sebastião institui-lhe uma renda de 22 moios de trigo.A este rendimento veio juntar-se o dos bens da Confraria do Corpo de Deus,ordenada em 1569 por alvará régio.
Estes bens provinham de João Feio e sua mulher Maria Jones por testamento de 1469 e lavrada perante o juiz Delegado D.Rodrigo Álvares Pereira.um dos 34 irmãos do Condestável e residiu nesta vila.

(foto jrsimas)

(Extratos do livro pelas searas da vida)

quinta-feira, 28 de maio de 2009

AMANHECER NO TEJO



De muitos , este foi um daqueles maravilhosos que consegui captar!


Foto Zeii

BENÇÃOS





Penso em ti, nos momentos que recebi uma prova de amor ,no qual as palavras não saíam e que o coração ficava esmagado pela emoção,
Eram pétalas caídas , nas preocupações do momento,queria somente ,que não olhassem para trás . que aguentaria firme e não lhe fizesse entender a as minhas desilusões.
Passou,está tudo bem , será que venci a batalha !? mas não a " guerra"....

quarta-feira, 27 de maio de 2009

PRAGMÁTICO-Assim o pensaste assim aconteceu ......3º


Pastoreei a vida para que não se tresmalhasse os sentimentos , a jeito de metáfora...!

Do poeta popular Augusto Reis


O PASTOR
Pastor de olhar profundo,cismador,
Moreno,de alma clara de luar ...
Que rebanho de mágoas a guardar
Te deu,sem compaixão,ingrato amor?

Pastor de olhar em brasa,sonhador
Contemplador dos astros ....Para Amar
Volveste para a terra o teu olhar
Mas eram só enganos em redor...

Desprende a alma em flor d,esses restolhos,
Pálido sabeista,Ergue os teus olhos
Em ansiosa ascensão para as estrelas

Só quem de amor sofreu ingratidão,
Em recompensa vil d,uma paixão
Possui o privilégio de entendê-las

terça-feira, 26 de maio de 2009

FRASE DO DIA


Todos precisamos de um veneno para passarmos a vida á procura do antídoto !



foto pipas

A FAMILIA MATERNA PARRULA


AVÔ -Joaquim Parrula
AVÒ- Joana Fino
TIO- Elias Fino Parrula
MÃE- Catarina Isabel Fino Parrula

segunda-feira, 25 de maio de 2009

PREOCUPAÇÃO DE MÃE II



Este um documento que tem cerca de 45 anos ,minha mãe entregou-me esta pagela á entrada de Escola Comercial e Industrial de Estremoz .para que a NOSSA SENHORA DA ORADA me desse a sua protecção, na nova etapa da minha vida.
O nosso Santo Condestavel, teve a sua protecção, quando orou naquele local antes da Batalha dos Atoleiros .

DIGNIDADE-Assim o pensaste assim aconteceu 2º


Alguém porventura esperaria que fizesse sangue, prefiro perder com dignidade que ganhar com cinísmo ,obtenho o respeito da minha própria pessoa !
Sempre agi de boa fé ,com objectivos determinados e ideais criados e de sentimentos transparentes.
Julgaram que eu era o ultimo a saber , tudo eu entendi mesmo antes do trilho estar traçado.
Serei sempre vertical e sem pesos na consciência .
O FONTE VIVA vai apenas até a um limite , a partir desse limite é tabu.
foto lixuva

domingo, 24 de maio de 2009

PREOCUPAÇÃO DE MÃE



Com saúde e sorte!! era o desejo de mãe quando e fiz os meus 21 anos, sempre cheia de fé em DEUS.
Já numa fase terminal da doença preocupação era eu não ter ninguém .mas este coração rebelde e com alguma timidez, andava voando pelas asas do vento há espera da princesa.
Estaria eu na EPC , claro, que a magalagem , comentou o postal , irónico divertido e de companheirismo.
Afinal as asas levaram -me para longe , foi uma nortada !

SELO DA AMIZADE



Nas esperanças renascidas , nasceu um novo País ANGOLA , 11 de Novembro de 1975 o arrear de um bandeira e um hastear de outra,
O sonho daquele povo estava concretizado, manchado por divergências politicas ,combateu-por ideais que se arrastaram durante anos.
As amizades que fiz naquele tempo ficaram seladas no meu coração, este é o documento que prova essa amizade , uma pulseira de missangas.
Um jovem a quem eu chamava afilhado e que estava sempre por onde eu estivesse , na partida em 31/10/1975 para Lisboa , um abraço e um SELO da AMIZADE feito pela mão do meu amigo.
A palavra é JOSE escrita com o coração de menino.

sábado, 23 de maio de 2009

SOUSEL SEM COMBOIO


A tristeza apodera-se deste local. passaram por aqui milhares de cabeças de gado vindo de todo o país para a MAIOR feira de gado , A feira de S.Miguel
O Intercânbio entre A capital de distrito Portalegre.
As viagens dos jovens para Estremoz , do burburinho das gentes que diziam :Olha , Ca gar(e) e para o chefe , das mudanças das agulhas, carregava-se na alavanca e a 500 mts o comboio mudava de linha, as manobras, quando os vagons eram empurrados e deslocavam se sozinhos gozávamos com o facto.
Silos de trigo do celeiro de Portugal saíam daqui a caminho das moagens.
Veio o automóvel, ligeiro e pesado este local foi perdendo a vivacidade e morrendo de inveja das auto-estradas.
Hoje está abandonado como se vê na foto.
Aqui SOUSEL já com (S)
foto josesousa

O PRIMEIRO COMBOIO EM SOUZEL




Em uma pesquisa fortuita encontrei esta preciosidade da minha terra , o primeiro comboio.Por ironia lá diziam os mais espertalhões aos mais inocentes para levarem um cobertor que ele vem a suar !!!!!
Inauguração da linha Estremoz -Sousel em 23/08/1925
LINDOOOOOOOOO ,eu só não levei o cobertor porque ainda não era nascido !!!!!
Sousel em 1925 era com ( Z ) SOUZEL
foto de Carlos Boga
confirmem o nome SOUZEL está no edificio da estação.

MEUS DESENHOS




sexta-feira, 22 de maio de 2009

OLHÓ PASSARINHO.................



Ó nosso furriel ,o SR. tem que tirar uma foto com farda de gala ,para o BI militar , mas raio onde e que eu vou buscar a farda,isto no RC3 em Estremoz.
E agora o que é fulanos querem , é uma ordem ,está bem um furriel maçarico como iría resolver o assunto.
Por sorte estava no RC3 um cabo que é de Sousel o Tiago "vento suão" era quase dono do quartel, diz-me o Zeii anda cá que eu resolvo o problema, como?
Pedes emprestado o casaco e o boné a um sargento dos meus conhecimentos e pronto.
Assim foi, o boné teve que levar papeis de jornais por traz e o Foto Carvalho ,escolheu o melhor ângulo para ficar bem.
Lá fiquei todo elegante no BI militar, mas como tinha o privilégio de sair a civil , não me foi necessário.
Estava a 16 kms de casa ía e vinha todos os dias,Sousel -Estremoz a mesma rotina dos tempos de estudante.
Passava mais tempo no Águias d,Ouro que no Quartel,estava á espera da missão.
ExFurrielMiliciano de Cavª
ZEII

quinta-feira, 21 de maio de 2009

O Craque


Este é perfil do avançado centro que Benfica, o meu e o dele precisa....
Já cá não está entre nós , mas era jogador do Sport Clube Canense, perdoem -me os meus patrícios se meti gafe no nome.
O jaquim Augusto do Cano , poucas referências tenho dele enquanto jogador de futebol . mas pelo que me contavam era craque e fazia muitos golos .
"Como filho de peixe sabe nadar" também tinha queda para a bola joguei no Estremoz, mas era esgotante, treinos jogos e estudo.
Não apareceram os contratos milionários e o meu pai não me incentivou, a bola não me dava de comer , dizia ele.
Os meninos , hoje em dia deixam de brincar , para ambicionarem a ser estrelas .....os paizinhos assim o desejam .
O pai e o da nossa direita.

FAVAS À MODA DO ZEII


Bem ,vamos lá ver se ainda sei cozinhar:
Para 4 pessoas
2 Kg de favas colhidas no dia e tenrinhas sem o olho negro
1/5 litro de azeite do virgem
1 chouriço , 1 morcela e toucinho de porco preto , tudo alentejano
Meia-dúzia de pipas de alho , um molho de hortelã e um molho de coentros .
Preparação;
Recipiente de preferência ,uma tejela de fogo, (BARRO) põe-se numa trempe e leva-se á lareira.
Deita-se o azeite na tejela e aquece-se, põe-se a carne cortada as tiras finas, frita se muito bem e retira se do recipiente para uma travessa,
Faz se uma "boneca" atam-se com linha os temperos e deita-se na tejela com as favas descascadas , deixa se refogar durante 15 minutos ate as favas estarem enrugadas.
Depois acrescenta se água ate tapar as favas , mais 5 minutos , e já esta !
Serve-se em pratos fundos para levar sopas de pão (Alentejano) acompanha-se com salada de alface cortada as tiras com bastante agua azeite e vinagre sal QB.
O tintol do Alentejo não pode faltar.
Vai se comendo a carne frita da travessa a acompanhar.
Ps:o 2 kilos são já descascadas ou seja terão que ser mais ou menos 5 Kilos com casca .

terça-feira, 19 de maio de 2009

FASCÍNIO DA JUVENTUDE


Uma nova aventura era o delírio, eram os nossos ídolos , a ansiedade tornava se insuportável a espera da biblioteca itinerante da Calouste Gulbenkian.
Os livros eram devorados num só dia , a espera era longa , mesmo que tivéssemos trazidos outros livros "OS CINCO" e que nos fascinava.
Mais iria passar pela livrarias , Alves &Simões ,ANÍBAL em Estremoz e ZICA em Sousel ,para estarmos a par dos famosos cinco dos livros mais recentes.
Para o nosso bolso eram caros ,ainda poupei algum dinheiro e fui comprando até ter umas duas dúzias das aventuras do famosos ANA,ZÉ,DAVID e JÚLIO e o cão TIM.

AVÔ PARRULA


O do esquecido (Bolo) , deixou de ter para passar a ser , deixei de o ver a descer a rua,com seu capote claro de figura simples e bigode grisalho , trazia no seu regaço o bolo para o neto mais novo e o cação para o almoço de domingo, sempre em família.
Homem de negócio , criou respeito no seio das gentes da vila que o procuravam quando o dinheiro não chegava , porque os tempos eram de fome , ganhava- se pouco e trabalhava se muito.
Criou um conflito dentro de si , entre a razão e o coração .
Nas listagens de clientes o débito era superior ao crédito, nas listagens de fornecedores o crédito era superior ao debito, assim o activo , foi se , mas ficou o homem.


Uma herda . o coração do homem

segunda-feira, 18 de maio de 2009

INGENUIDADE- ASSIM O PENSASTE ASSIM ACONTECEU...... 1ª


Nada me surpreendeu .... de nascer não me lembro ! de morrer também não me lembrarei.
As palmadas de meu pai , por não ter chegado a horas ao jantar , as únicas.
O esquecido (bolo) que avô Parrula que trazia todos os domingos quando vinha do mercado , A samarrinha com gola de raposa feita medida por uma costureira la da vila , os pirolitos com bola as refeições.
Do amor de infância e juventude que nunca esqueci.
Das cebola de detesto, principalmente na canja, das bolachinhas com chocolate que tirava da embalagem da loja ,
Da duas a únicas réguadas dados pelo professor Paixão na primaria, porque estava desatento.
Da humilhação que fui alvo por não ter falado ã Srª Professora Dª Maria.
Dos Muito Bom com que passava de classe inclusive o da admissão.
Dos livrinhos de banda desenhada que comprava na livraria do ZICA , os cortes de cabelo no Cunha, na mesma rua.
Do bilhar no AZUIS um mestre , dos matrecos um aprendiz , do Ping pong na média , no bingo um azarado.
Dos banhos a noite nos tanques da rega , Ti Zé Verdugo podemos ir tomar banho!? vão ,mas não façam barulho , pois não ...
Do inglês medíocre , para o bom , dos desenhos que fazia e que aquele que achava o pior foi escolhido para a exposição da escola pelo Prof, Rocha Correia.
Pelo prof, de contabilidade o Dr Estrela que se babava .
Pelo prof de noções de comércio que a nota mais alta que dava era o 12 eu tinha 10 .
O que me surpreendeu o que acontece as pessoas boas ,um estágio de cinco anos no sofrimento e um fechar de um ciclo .
Outro ciclo começado ..... voltei a pensar no ultramar aconteceu, da ordem unida dos cross . do fogo real da semana de campo a dormir calçados e com os pés de fora da tenda.da continência do cabo Matos comandante do GNR Sousel e pai de um Grande Amigo.
Da irreverencias dos jovens graduados ,claro que arranjei paixão em Estremoz .
Da ausência de 6 meses por terras de África, a mãe me recomendou o filho , parti vazio da perda deixada pela minha ,
Da terra vermelha que fica na memória e que apetece ficar .....
foto do Flávio

É UM SECRETO SABOR


mjfurtado

domingo, 17 de maio de 2009

O NOSSO TEMPO



O pá tu ficas a baliza , que baliza !? sarjetas da avenida ,de cada lado havia uma mesmo frente a frente,assim improvizavamos um jogo de hóquei em patins mas sem patins.
Os stiks eram uns bocados de ramos de oliveira , curvados á ponta a bola era "redonda"
Começava o encontro alguma pancadas nas canelas , umas nódoas negras e assunto resolvido.
O mais difícil era a bola entrar e quando entrava la ia esgoto abaixo ,umas quantos foram desaguar ao ribeiro mais próximo, ainda não havia tratamento de águas , possivelmente , iriam do ribeiro a ribeira ao rio afluente do Tejo e do Tejo para o oceano atlântico.
Depois das sticadas , e como estavas esfaimados , marchava uns bons bocados de choriço ou morcela com o panito feito a forno de lenha , e que mais gostava era da côdea, estaladiça e bem cozida.
Voltávamos a rua o que se seguia , talvez "A PATA TIGONILHA" ou então ao BERLINDE, ou á "INTEIRA" assim terminávamos os nossos dias .
Novo dia começava ,planificava- se ..... com o mesmo entusiasmos dos dias anteriores o tempo corria devagar , era imenso o espaço entre a manhã e a tarde , tempo para tudo.
O presente era vivido , tínhamos mais para a frente que para trás .. tínhamos muito tempo .
fotode jrsimas

sábado, 16 de maio de 2009

FOTO CARVALHO



Foto Carvalho em Estremoz , uma foto tirada em 1953 a meus pais , a minha máe estava grávida desta personagem , mais tarde talvez 30 anos mandei fazer da foto postal uma foto em quadro ,e foi tirada dos arquivos da casa .

MARCAS DA MEMÓRIA




Passando pelos trilhos da memória ,figuras carismáticas daqueles anos de irreverência ; A cidade que tutelou parte da minha vida ou grande parte , ESTREMOZ.
Passando pela papelaria ANÍBAL os livros os dicionários o material de desenho , régua compasso, esquadro , transferidor , lápis "viarco" 1, 2 e 3 aguarelas "pelikam".
A ribatejana do ovo estrelado e batatas fritas a Patamisca das salsichas , O ISAÍAS alguns petiscos , O quiosque Manieis dos cigarritos da lotaria e dos matrecos ,O Águias d,ouro da garrafinha de chocolate Ucal ao pequeno almoço ,do Zé d,Alter copos e fado., do Alentejano da bilharadas , do foto Carvalho as fotos para o passe na CP , Setubalense e para as matriculas na EICE.
Pelo Mendes Meira & Niza , dos cadeados , pela Pastelaria Formosa ,dos palmiers cobertos , Pelo Pimpão da bisnagas de Carnaval, mais que de momento não me vem a memória ,
Pelo jardim onde nos sentávamos no bancos e abríamos a bucha aí almoçávamos , onde era visível o Regimento de Cavalaria 3 e nos questionávamos , será !?? que estarei por aqui ,
A resposta veio uns anos mais tarde , em Setembro 1974 dava entrada um graduado miliciano ,sem saber o que seria o futuro . Ei lo , assim pensas-te assim aconteceu .
Éramos os maiores , la estava novamente o Águias D,Ouro a fazer parte de outra parte da minha vida.No outro pedaço de historia o mercado , claro, em Estremoz , fruta a novidade , carne da melhor assim como o peixe, tudo já com os meus amigos e fornecedores .
Fui e vou sempre que me desloque a Estremoz ao Castelo e á Pousada .

foto Bolotinha

sexta-feira, 15 de maio de 2009

ALENTEJO DOURADO


Do teu valor disputado
A valia do teu tesouro
É teu trigo d,ourado
Alentejo terra d,ouro

A riqueza do teu prazer
A tua campina infinita
Torna mais belo dizer
Muito mais rico ainda

Esta terra que dá pão
Que muita boca consome
Dá carne,azeite e grão
O trabalho trás a fome

No campo tens o gado
Que nem de noite recolhe;
Diz este velho ditado
Quem não semeia,não come

A beleza desta terra
A força deste calor;
Dá ao trabalho mais guerra
E na vida, mais amor

quinta-feira, 14 de maio de 2009

COMENTARIO


Há um comentário que eu quero fazer a SOUSEL, "NÃO COMENTO"

foto do serra

terça-feira, 12 de maio de 2009

Cano


Quero aqui homenagear a terra natal do meu pai e família,
Do Poeta Popular Caipira "SAIAS "
Cantadas e dançadas pelo rancho folclórico de Cano

O cano não é cidade
È uma vila aguerrida
Amor a nossa amizade
Não tem peso nem medida

P`la minha Vila do Cano
Tenho imensa vaidade
è um jardim lusitano
Onde brilha a mocidade

Ó Cano terra modesta
D`Oliveiras e trigais
Que amizade será esta?
-Cada vez te quero mais

Que prazer o Cano tem
p`lo homem que é cavador
Nunca foi nem e ninguém,
Vão-lhe tirando o valor

ò Cano és um ladrão
è teu filho quem o diz
Roubaste me o coração
Mas mesmo assim sou feliz

foto de jrsimas

domingo, 10 de maio de 2009

As Calças de Ganga


Não querias mais nada , disse o meu pai 750$OO por umas calças , deves estar maluco .
O meu colega Zé já tem , pois mas ele e filho de um pai com dinheiro .
Frustração , afinal os meus pais não podiam comprar a calças eleitas pela juventude do meu tempo, que possivelmente hoje os meninos tinham mesmo sem pedir .
Amava as calças , sonhava com elas foi o inicio da ganga em Portugal , que fazer mas eu tenho que as ter, que fazer !? fazer recados , vender jogo , vender vinho.
O ze tu queres as calças disse o dono do estabelecimento, claro mas não tenho dinheiro , vais pagando!
Tinha a cabeças roda , estava entre o amor e a razão, falei com minha mãe, claro que não me iria chamar maluco ,Ò mãe o Sr Redondeiro facilita o pagamento......
Pagar assim já viu isto em algum lado , pois e agora e tudo assim.
Lá fui eu buscar as calças .
Afinal consegui , mas tive que me esforçar ,trabalhei alguns tempinho e o sabor foi sublime .
As calças vestiram se ate romper , todos os dias , salvo os dias que eram lavadas a marca era LOIS

sábado, 9 de maio de 2009

CORAÇÃO AO LARGO .....


Já vai transpondo a curva torturante
Da vida,longa estrada sinuosa,
Que ,sonhando,trilhou numa ansiosa
Volúpia de vivê-la num instante

No meio da jornada,o viandante ,
Já vai volvendo a vista pesarosa:
Bem pouco lhe tem sido dadivosa
A sorte.para os outros deslumbrantes

Lá ficam para trás :irreverências,
Erros,loucuras vãs,incongruências.
Da juventude inglória,enganadora

Perscruta o horizonte ,frente a frente
E a Estrada de Damasco ,reluzente
De promessas lhe surge acolhedora

quinta-feira, 7 de maio de 2009

O ALENTEJO


Esta terra que ri,chora e canta
Que nos dá beleza,nos entristece
Serão seus filhos ,mais uma planta
A sua ordem,este mundo enriquece

Teu sol, esta estrela,este calor
O teu povo,de firmeza arreigado
Não esquece dedicação com fervor
A este solo fértil e perfumado.

Querer em ti esta razão, este ser
Tudo o que tenho, para te oferecer
Será muito mais se preciso for.

Sonhos,poetas,que já te cantaram
Belezas,glórias, que por ti passaram
O merecido do teu povo, esse amor .

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Momentos




estar sozinho dentro de casa
ver as imagens desfilar
domesticamente
olhar pela janela
os olhos dentro de casa
pensar como é difícil caber
na rua
no mundo
em alguém
olhar-se ao espelho e morder o lábio inferior
fazer sangue
enquanto se apertam os botões
atamo-nos aos dias
parados a contemplar diferenças e semelhanças
no meio da multidão.
onde é que está a verdade
como conseguimos abraçar um corpo
e ter esperança de ser salvos
vendo tudo
lá fora
cá dentro
através da janela.
depois do drama gesticulado
da raiva
do peito arfante
de todo o choro
do riso e do ciúme
do futuro com as mangas arregaçadas
a mão estendida
dizer que vai ficar tudo bem
que tudo passa momentaneamente com um abraço.
somos sós
e permanecemos
não há como negá-lo.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Um Amanhecer !!


Amanhece , desejo sempre que seja com sol, somos "amigos" ,faz-me brilhar a alma ,deambulo nos mais positivos pensamentos, leva-me a anos luz no universo.
Ver nascer o Sol é um acontecimento surreal e nem todos o vêem , eu, só algumas vezes.
Finalmente o dia chega ao fim acompanhamos a nossa estrela, cansados da rotina

não nos parece tão radioso ´.................

De um poeta popular de Cano , a sua relação que tinha com o Sol


O Sol é a minha crença

Nem mesmo que morra queimado

ainda não compensa

os frios que tenho passado


( Jaime velez " manta branca ")

sábado, 2 de maio de 2009

A palavra


O fascínio dos nossos caminhos de ferro está na palavra usada , olha esta! está concerteza em alguma estação alentejana .
Tempos vão que a espera era longa olhávamos e tornávamos a olhar para aqueles relógios caratristicos e estava sempre adiantados em relação a tabela e será que eram os comboios que vinham atrasados .
Quando acontecia e bastantes vezes nós uns adolescentes que tínhamos que nos deslocar ate Estremoz esperávamos horas pela pouca-terra que já vinha suado de Portalegre fazia um esforço hercúleo para subir aquele pequeno desnível , dava para tudo ate para apanha-lo uns metros mais á frente .
Por fim chegávamos e justificação tinha que ser passada pelo chefe da estação ,porque as faltam já estavam nas pautas -
Pela tarde o regresso era feito em automotora a gasóleo que quase afixiavamos com a combustão daquela energia.
Hoje a meia-hora seriam dez minutos..........

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Um utensilio de gerações


Quem teve o prazer de desenhar letras com esta caneta, molhar o aparo no tinteiro ,possivelmente a minha avó que passou para a minha mãe .
Quem ensinou muita gente as primeiras letras incluindo eu, a minha mãe !
Aqui esta esta caneta como documento da letra que usava nos selados de contabilidade (letra inglesa)e também o meu fascínio pelo objecto que ainda preservo um testemunho do passado com grande valor sentimental.